Seg a Sex - 9h00 às 12h30 e 14h00 às 18h30

Faqs

  • A depilação a laser é uma técnica eficaz de remoção permanente dos pelos, feita através da energia do laser, presente em forma de luz. Esta energia é atraída pela melanina do pelo e possui um comprimento de onda capaz de eliminar o folículo piloso de forma permanente.

  • A depilação a laser díodo consiste na aplicação de uma luz de alta potência, com a finalidade de eliminar as células que geram o pelo. A luz do laser emite uma energia absorvida pela melanina do pelo, que destrói de forma permanente as células germinativas responsáveis pelo seu crescimento, impedindo que voltem a reproduzir-se.

  • O número de sessões de depilação a laser dependerá das características de cada indivíduo, das características do pelo e da zona a tratar. Deverá ter-se em conta a cor da pele, o tipo de pelo e o estado hormonal, bem como fatores metabólicos e de stress. Além disso, dependerá também das características técnicas do equipamento. Normalmente, o tratamento termina quando, pelo menos, 85% dos pelos já foram eliminados, o que acontece, em média, entre as 6 e as 8 sessões.

  • O objetivo da depilação a laser é eliminar as células que formam o folículo piloso quando está na fase anagénica (ativo). Se o pelo se encontrar na fase catagénica (repouso), o laser não conseguirá alcança-lo. Em cada sessão com laser, apenas os folículos pilosos ativos são excluídos e, por este motivo, é necessário recorrer a mais do que uma sessão para conseguir alcançar todos os pelos na fase de crescimento.

  • O ciclo do pelo tem diferentes fases durante o seu desenvolvimento:

    • Anagénica, caracteriza-se por um aumento do número de células da matriz generativa – crescimento do pelo
    • Catagénica, caracteriza-se por uma paragem folicular – pausa no crescimento do pelo
    • Telogénica – caracteriza-se pela inatividade total do folículo piloso – queda do pelo

    A fase adequada para a aplicação do laser é quando o pelo está a crescer, ou seja, na fase anagénica, pois o folículo piloso é mais fácil de destruir devido à sua alta concentração de melanina.

  • A depilação a laser pode ser feita em qualquer parte do corpo com pelos, porém, existem zonas específicas que são totalmente desaconselhadas, tal como a área ocular, sobrancelhas, mucosas e o couro cabeludo.

  • A dor é uma característica muito individual, pelo que dependerá da sensibilidade de cada indivíduo, bem como das características da pele, do pelo e da zona a tratar. No entanto, há equipamentos de depilação a laser que garantem uma depilação cada vez mais indolor porque possuem um mecanismo que protege a pele através do seu arrefecimento.

  • A depilação a laser é uma técnica de remoção permanente dos pelos, feita através da energia do laser, presente em forma de luz. Esta energia é atraída pela melanina do pelo. Ora, não havendo melanina no pelo, a luz do laser não reconhecerá o mesmo, impedindo a sua remoção de forma eficaz.

  • Em casos mais delicados o tratamento de depilação a laser poderá causar queimaduras ou irritação da pele. No entanto, esta consequência é evitável se for efetuada uma avaliação e diagnóstico antecipado das características da pele, do pelo e da zona a tratar. O equipamento de depilação a laser utilizado também é um fator a ter em atenção. Atualmente, existem equipamentos que possuem um sistema de arrefecimento ativo que protege a pele durante o tratamento, eliminando o risco de queimaduras e tornando o tratamento praticamente indolor.

  • O tratamento de depilação a laser deve ser realizado por profissionais especializados da área que garantem o cumprimento de todas as normas, tanto higiénicas como sanitárias. É aconselhável um diagnóstico antecipado e realizado de forma rigorosa com base no perfil do indivíduo, tipo de pelo e estado da pele, de forma a proporcionar-lhe os resultados esperados.

  • Hoje em dia, tanto homens como mulheres, de qualquer fotótipo de pele, podem fazer depilação a laser com total segurança, eliminando de forma permanente os pelos indesejados em, praticamente, todas as zonas do corpo e do rosto, permitindo a tão desejada pele lisa e saudável. No entanto, desaconselha-se o tratamento de depilação a laser nos seguintes casos:

    • Exposição solar e raios UVA (solário), com o mínimo de duas semanas antes e uma semana após a realização da sessão de laser, a fim de evitar possíveis manchas ou
      queimaduras, bem como o uso de ativador de melanina ou autobronzeador em simultâneo
    • Gravidez e período inicial de amamentação da vida do bebé
    • Epilepsia
    • Sinais e verrugas
    • Processos de degeneração da pele (vitiligo, lúpus, etc.)
    • Realização recente de qualquer tipo de peeling ou tratamento com ácidos
    • Fotossensibilidade provocada por algum medicamento
    • Pessoas sujeitas a tratamentos oncológicos
  • A depilação a laser não é definitiva, uma vez que os pelos podem voltar a nascer após algum tempo. Isto é, o pelo só é destruído durante a fase de crescimento. Mesmo numa área com poucos pelos, uma parte estará a crescer e outra parte estará em repouso. As sessões são realizadas em média a cada trinta dias precisamente para que seja possível atingir todos os pelos na fase de crescimento. Para além disso, a pele sofre processos de renovação constante e é possível que existam folículos imaturos que se desenvolvam no futuro. Outro motivo relevante para não considerar a depilação a laser como definitiva pela qual é o facto de existirem alterações e desequilíbrios hormonais que poderão potenciar o crescimento dos folículos. Porém, a conciliação entre um bom método de depilação a laser e um equipamento qualificado garante depilações duradouras.

  • A depilação a laser apresenta diversas vantagens em relação aos métodos de depilação tradicionais:

    • Permite a eliminação permanente do pelo
    • Soluciona problemas dermatológicos como a foliculite (inflamação do folículo piloso – comummente designado por pelo encravado)
    • Previne o escurecimento da pele provocado pelo uso de cera ou lâminas
    • Reduz as manchas cutâneas
    • Pele lisa e uniforme
  • Durante o tratamento de depilação a laser, é natural sentir calor na zona tratada, formigueiro ou uma leve picada. Imediatamente após a aplicação do laser, a zona tratada pode ruborizar ou inflamar ligeiramente, mas estes sintomas desaparecerão num curto espaço de tempo. É extremamente importante aplicar um creme regenerador após a sessão e durante os 7 dias posteriores para reforçar suavemente a barreira natural da própria pele.

  • Cada sessão de depilação a laser deverá ter um intervalo de 4 a 6 semanas. Uma vez que o pelo só é destruído durante a fase de crescimento, é necessário esperar para que os pelos em fase de repouso comecem a crescer e o laser consiga reconhecer o folículo e eliminá-lo, impedindo que volte a reproduzir-se. Para além disso, é importante respeitar o ciclo de regeneração da própria pele.

  • A diferença entre depilação a laser e fotodepilação está no tipo de luz e na forma como ela é emitida. Enquanto o laser emite um feixe de luz que atinge as células germinativas do pelo, impedindo que ele cresça, a fotodepilação emite uma luz pulsada de baixa intensidade que enfraquece o pelo à medida que atinge as células pilosas, não tendo a capacidade real de destruir as células germinativas da raiz. Por esta razão, após um tratamento de fotodepilação é necessário fazer uma manutenção das áreas depiladas com maior frequência.